terça-feira, 3 de maio de 2011

『 Uma nova experiência. 』- Final






Me levantei e pedi para as meninas deitarem na cama. Tirei o vestido de Joana, e por baixo daquele vestido estava com uma calcinha pequena. Depois, tirei a roupa de Tifane, a blusa, beijando seu pescoço, chupando seus seios e apalpando o outro. Abri sua saia e vi uma lingerrie vermelha rendada, que ja amostrava sua boceta raspada. Deitei ao lado de Joana, e pedi que ela toque os seios de Tifane. Meio relutante e com o rosto vermelho de vergonha ela fez, enquanto a mesma chupava o peito da amiga, eu descia aquela calcinha que ela estava vestindo, vendo sua bocetinha raspada também, como se soubesse que iria fazer algo.Abri suas pernas e começei a chupa-la, aquela boceta molhada não deixava esconder o quanto ela estava excitada. Eu, naquele momento usava de todos os meus conhecimentos, mesmo sabendo que não eram poucos para fazer Joana gozar de uma forma bem gostosa, pra que ela nunca esquecesse. Deitada, pernas dobradas, um dos meus braços passava por uma perna e apalpava os seus seios, enquanto o outro braço amaciava a boceta de Tifane, tocando no clitoris dela, fazendo ela se contorcer de prazer. O gozo de Joana escorria pelo meu queixo, mostrando assim, tamanha excitação. Pedi a Tifane que me beijasse. Ela, sem fazer nenhum comentario, começou a me beijar com intensidade. Depois fiquei em pé, e tirei a roupa e fiz Joana pegar na minha rola dura, e direcionei para sua linda boca. Em seguida, coloquei meu membro na boca de Tifane, já ela chupava como se tivesse saboreando um pirulito. Tifane mais relaxada, começou a chupar a xana de Tifane. Joana de quatro, chupando a xaninha de Tifane. Então começei a chupar o cú de Joana. Minha rola não aguentava mais de tanto tesão, parecia que queria gozar sem penetração, pedi que Joana deitasse e que Tifane fisesse o que Joana estava fazendo. Tifane de quatro chupando a buceta da amiga, coloquei de leve a minha rola na boceta dela, e com movimento, comecei a enfiar. A xana molhada de Tifane, fez com que meus penis não tivesse trabalho de entrar. Começei de leve, colocando em Tifane que de quatro, com aquele cuzão virado pra mim, me deixava muito excitado, enquanto ela deitada de pernas dobradas, começei a massageiar o cuzinho de Tifane enquanto metia. Aguarrei aqueles cabelos curtos. Começei a meter com rapidez . Não demorou muito pra Tifane se jogar em cima de Joana num gozo que ela descreveu com um gemido. Então, pedi a Joana para que subisse na minha pica, aquele corpo magro, seios empinados, rosto e corpo delicados me deixava ainda mais louco. Tifane começou a beijar a amiga, e Joana galopava desfazendo minha ideia de que era virgem, foi quando sem me conter gozei gritando como se tivesse morrendo de tanto tesão. Foi maravilhoso, a melhor experiencia que um homem pode ter, é tranzar com duas mulheres. - Diz ele num relato real.

Nos desculpem a falta de postagem, devido ao feriado da semana santa, os horarios ficaram meio confusos, mas logo iremos por novos posts...

quinta-feira, 28 de abril de 2011

『 Uma nova experiência. 』- Parte 1



Dia nublado, como sempre saio de casa atrasado e plena sexta-feira, só queria ficar em casa, no computador, deitado na cama. Mas, como nada é como queremos, sai de casa e fui para o para o curso (pré- vestibular), num dia entediado, para estudar química e biologia.

Sala cheia sento junto de algumas meninas, que de outrora, já conhecia, entre uma aula e outra, brincadeiras e risadas, quando (a que parecia mais quieta) Joana, faz uma narração de um conto erótico que parecia ser pessoal, fiquei atônico e no decorrer da leitura, excitado eu estava, em forma de brincadeira, comentei meu estado. Tifane, a outra amiga mais assanhada respondeu:

- Me deixa ver!

Entre risos e brincadeiras, a aula chega ao fim. Saímos da sala juntos e as convidei para tomar uma cerveja e comer churrasquinho. Joana, parecia indecisa, logo, Tifane aceita. Joana resolve aceitar também. No barzinho, começamos a beber, eu era o único homem no meio daquelas meninas Tifane estava com um short curto, pernas cruzadas e uma blusa vermelha, a única coisa que poderia chamar atenção naquela escuridão era ela. Já Joana, estava com um vestido até o joelho, mas muito decotado, que mostrava as belas formas dos seus seios, com seu rostinho rosa de maquiagem. Joana me parecia santa, porem de santa, ela não tinha nada.

Brincávamos, falando de fantasias e experiências sexuais. Tifane a mais usada, falava com detalhes suas historias. Diante da conversa, fiquei retraído aparentemente tímido, pois até Joana falava suas historias, é claro que com menos experiência. O tempo passa, e essas meninas começaram a ficar risonhas, efeito daquelas latinhas que havíamos tomado.

Entre as conversas, contei das vezes que tinha saído com mais de 1 mulher; perguntei a Tifane o que era achava. Ela sorriu, e disse que tinha curiosidade. Quanto a Joana, nem pode falar nada, pois Tifane tomava conta da conversa. Assunto foi se alongando, era por volta da 23h30min, e as meninas disseram que tinham que ir pra casa. Comentei, dizendo se elas não podiam dormir na casa de Joana e ligar pra a mãe avisando. Ela gostou da idéia e for ligando depressa, pedi a Joana que fizesse a mesma justificativa, pra a noite não acabar só naquele churrasquinho. Sara também ligou, e disse que ia dormir na casa de uma amiga. Saímos do churrasco e pegamos um taxi. Perguntei a Tifane pra onde ela queria ir, já muito ‘’feliz’’, disse:

-Pra onde você quiser me levar.

Joana confirma a resposta da sua amiga com um sereno sorriso. Pedi ao taxista que nos levasse pra onde eu tinha mencionado, e ele nos levou. Entramos no motel, do taxi, fomos direto pra o quarto. Entramos, e eu com voz de brincadeira disse:

- Viemos terminar de beber, não precisa se preocupar.

Abri o Wisque e coloquei uma dose pra mim. Em seguida, pedi licença e fui tomar um banho, pois estava muito soado. Quando eu voltei, estavam Tifane e Joana sentadas na cama, uma ao lado da outra, assistindo canal erótico. Vestido do mesmo jeito que cheguei, sentei entre as duas e olhei para Joana. O rosto vermelho dela, não era mais maquiagem, seu rosto meigo parecia uma boneca, através de feições, se perguntava o que estava fazendo naquele lugar. Foi quando eu me aproximei dos seus lábios e a beijei, como se fosse uma manga suculenta e as minhas mãos que já estava nas pernas dele, subiam lentamente e foi aos ao encontro da calcinha de renda dela. Após beijá-la virei para Joana que, com aquela cara de quieta, corpo de menina e rosto de boneca era a mais que me excitava, pela sua aparente fragilidade.

Ela, foi que meio relutante, deixou que eu a beijasse, por não agüentar tamanha excitação. Beijei seus lábios meigos, fazendo com que minhas mãos deslizassem pelo corpo delicado, foi quando a toquei os seios, beijando seu pescoço, Naquele momento, mesmo se ela não quisesse, não poderia sair mais dos meus braços, pois já estava dominado e muito excitado Vi o retorcer do seu corpo, quando enfim se entregou e me beijou com intensidade. Enquanto beijava Joana, peguei a mão de Tifane e coloquei sobre meu penis.

Tirei os seios de Joana e comecei a chupar, eram tão doces quanto a um morango maduro, peguei Joana e a coloquei em meu colo, enquanto apalpava seus seios, comecei a beijar Tifane. Levei vagarosamente o corpo de Joana com seus seios a amostra de encontro com os lábios de Tifane, ela meio envergonhada, chupa os seios de Joana com muita vontade, como se já tivesse feito aquilo. (...) CONTINUA


O que esses três irão aprontar? Continue acompanhando nosso blog e comente o que achou da historia e o que acha que vai ocorrer!

domingo, 24 de abril de 2011

『 Melhor Amiga 』- Final


Ainda nos abraçando e nos roçando; Jessica me beijava de um jeito louco, quase não consegui abrir a porta. Mal entramos e ela me jogou no chão da sala e subiu em meu colo, retirando o vestido novamente e o jogando em algum canto da casa, roçava aquela boceta em cima de meu cacete enquanto dizia que precisava de minha pica naquele instante, que não estava agüentando ficar sem foder comigo. Ela desceu pelo meu pescoço me dando chupões e mordidas, que me tiravam suspiros de prazer, passando a mão pelo meu corpo, um pouco suado, até chegar a calça, retirando minha roupa, me deixando completamente nu, segurando meu pau com força o lambendo inteiro. Jessy estava cheia de desejo, lambia meu membro como uma cadelinha, o deixando totalmente molhado de saliva; antes que ela começasse a chupar, pedi para por a xana molhadinha dela na minha cara para que eu pudesse chupá-la bem gostoso; Como uma putinha, ela obedeceu, colocando aquela boceta rosada e toda molhada na frente de meu rosto; Jessica começou a chupar meu cacete, o colocando por inteiro na garganta e usando as mãos para massagear minhas bolas, uma sensação tão gostosa que meu cacete pulsava naquela boquinha safada. Abri mais a boceta dela usando os dedos e comecei a lamber bem devagar, saboreando o “melzinho” dela, aos poucos aumentei o ritmo, seguindo o movimento que ela fazia no meu cacete, alternando as vezes em chupadas naquele grelo vermelhinho e rígido. Minha ruiva gemia enquanto se deliciava com meu caralho, passando a me punhetar gostoso, chupando apenas a cabecinha da rola. Levei uma das mãos para os cabelos dela, segurando-os com firmeza, acabando por enterrar a pica toda na boca dela, esporrando com força, a fazendo tomar todo meu “leitinho”, que ela mostrava gostar muito, já que não parava de chupar meu cacete nem mesmo depois de eu ter gozado.

Dei mais algumas chupadas na boceta dela e sugeri que fossemos para cama, a carreguei em meus braços e a sentei na beira da cama com as pernas abertas, me ajoelhei em sua frente e abri as pernas dela, lambendo desde o cuzinho ate o grelo dela, chupando o ultimo a cada lambida. Levei os dedos para a xana de Jessy, enfiando dois deles bem devagar com movimentos de vai e vem, enquanto não parava de chupar e dar mordiscadas no grelinho da ruiva, que gemia e se contorcia na cama, tentando se conter de prazer. Com a boca molhada de saliva, subi pelo corpo dela com chupadas até chegar aos lábios rosados dela, a beijando com voracidade, massageando os lábios dela com os meus, enquanto a levava para o meio da cama a fazendo se deitar com as pernas abertas, lentamente posicionei a cabeça da rola na xana molhada dela e dei uma forte estocada, a fazendo gemer durante o beijo, metendo com força sem parar. Afastei nossos lábios e falei que desde quando éramos adolescentes eu sentia um desejo imenso por ela, mas tinha vergonha de falar; As mãos dela seguravam o cabelo de minha nuca com força e ao mesmo tempo com carinho, assim como os arranhões dela em minhas costas, ela sorriu e disse que eu era um bobo por ter feito ela se tocar pensando em mim esse tempo todo, que eu deveria ter fodido ela antes. Continuei a meter ate o fundo daquela boceta, batendo meus quadris nas coxas de Jessy que não parava de gemer, nossos corpos quentes e suados se roçavam gostoso a cada metida, sentia a boceta dela apertar meu cacete cada dia mais forte, senti os pés dela roçando em minhas pernas e envolvendo-as em minha cintura. Enfiei todo cacete em Jessica, a ouvindo gemer mais alto que antes e se segurar em mim com mais força, a xana dela apertava mais o meu pau assim como ela me apertava, estava gozando gostoso. Enquanto ela tinha leves espasmos, me deitei a envolvendo em meus braços, acariciando-lhe as costas; Suados e cansados acabamos caindo no sono.

No outro dia ,pela manha, ao acordar na cama, não a vi, mas encontrei um bilhete escrito com batom em cima da calcinha vermelha dela:

“Amei nosso dia, nunca me senti tão realizada... Se prepare, pois isso vai acontecer com mais freqüência...

Beijos,Jessy”

E como ela havia dito, isso aconteceu com mais freqüência, mas isso fica para outra historia, Jessica está me chamando no quarto dizendo que é urgente, e pela voz realmente é urgente, se é que me entende... Ate breve.


Em breve teremos mais historias assim... Caso queiram mandar alguma historia ou sugestão entrem na nossa comunidade e deixem o post no topico de Duvidas e Sugestões, ou se preferirem, mande para nosso email ou entre em contato no MSN:


Comunidade: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=113480167

MSN: Luxuri.Licious@hotmail.com

『Gαмєs 』 - Tifa Swingy Ass


Clique para jogar!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

『 HQ 』- Duas Loiras Apostaram com Caralhos Pretos Enormes [Parte 1]


Links para Download:

4 Shared:http://www.4shared.com/file/XoTmeJUO/Duas_Loiras_Apostaram_com_Cara.html

MediaFire: http://www.mediafire.com/?62gi3po93n8m7rw

Visualização On-Line: http://www.hqsbrasil.xpg.com.br/hqs/2010/2_Loiras_Apostaram/

Fonte: SuperHQ.net

Um lugar inesquecível



Era uma madrugada de segunda feira, eu, com fogo no chicote, estava com vontade de transar loucamente, mas não sabia com quem. Olhava para o lado, olhava para o outro, e não achava ninguém que me interessasse. Quando de repente tive uma idéia que nunca tive antes: de ir numa casa de swing.

Era uma idéia meio maluca, mas aquela vontade de conhecer, de saber com era me consumia. Arrumei-me, como nunca tinha me arrumado antes, coloquei um micro vestido justo e transparente, um salto enorme, um batom bem vermelho. Peguei um taxi e fui à felicidade.

Ao chegar à entrada daquele local, estava tímida e recalcada. Entrei empinando a bunda e parei na recepção. A recepcionista (muito gostosa por sinal) me ofereceu um ‘’cardápio’’ dos homens disponíveis para que eu escolhesse. Devagar e sem pressa, fui passando lentamente as folhas, quando eu vi um homem que atraiu meu olhar naquele instante. Fiquei perplexa com tamanha sensualidade e resolvi escolhe-lo.

Ao chegar ao quarto, aquele homem, cujo nome era Marcus, um moreno muito gostoso, que me atraia muito, abriu a porta me recebendo assim com um boque de rosas vermelhas. Puxou-me para dentro e disse:

- Serei seu escravo, tudo que desejar, farei.

Eu surpreso, o deitei na cama, e o prendi com as algemas que estava em cima da cômoda, ele vestido com uma cueca de couro e gravatinha borboleta, deitou sorrindo descaradamente, com o mais belo sorriso aparelhado que eu tinha visto e toda a minha vida.

Em seguida, fui tirando aquela cueca de couro, e vi o maior presente que poderia existir, aquela pica grossa, com a cabeça rosada e definida; pedindo-me para voar e trepar nela. Eu, vendo toda aquela situação, subi na cama e fiquei entre o corpo dele dançando sensualmente. Marcus, vendo a minha boceta por baixo do vestido falava:

- Que bocetão gostoso é esse?

Peguei a mão algemada e levei- a até minhas intimidades, ele enfiava o dedo gostosamente, proporcionando-me assim um prazer inesquecível. Foi o primeiro orgasmo tão rápido que eu já tive, mas meu fogo não tinha acabado ainda.

Tirei meu vestido e sentei na direção da cabeça dele, como ele estava com as mãos presas, o movimento de Marcus era com a língua. Minha boceta estava na boca dele, aquela língua passava de um jeito magnífico na minha xana, eu fritava de prazer e pedia mais.

Depois, sentei naquele cacete grosso, e cavalguei, mexendo bem meus quadris, facilitando assim a entrada do pau de Marcus. Conseqüentemente, fomos para o chão daquele lugar, eu queria coisas diferentes e selvagens. Agarrava-o com as unhas, deixando assim as marcas nas costas dele.

Deitei de lado no chão, e Marcus com todo o tesão enfiou seu pau em mim. Enquanto ele comandava aquele sexo gostoso que fazíamos, eu mexia meu rabo no ritmo dele, harmonizava de todas as formas, eu gemia pelo seu nome, trancava os dentes e mordia os lábios de tanto prazer que sentia.

Os movimentos aumentavam gradativamente, ele segurava-me pela cintura, dando impulsos, tirando e colocando o penis dele, me virou da posição em que eu encontrava, ficando assim, na posição 69. Marcus pediu-me pra que eu massageasse a cabeça da rola dele bem rápido e forte, e assim eu fiz.

De repente, vi aquele liquido branco em toda a minha face, descendo pelo meu corpo, molhando a minha xana completa. Marcus levantou-me, lambendo assim, a própria gala, que estava na minha xaninha.

Depois daquele sexo gostoso, fomos para o banheiro, nos deliciamos naquela banheira, um lavando o outro carinhosamente. Ele, com muito tesão ainda, me pegou de jeito, e deu-me um beijo quente, em seguida, me disse assim:

- Se, todas as mulheres, que entrasse por essa porta, fosse gostosa e tarada como você, esse brega faliria.

Sentindo-me poderosa e satisfeita, me retirei daquele local, prometendo-lhe que voltaria para uma nova aventura entre quatro paredes..!

terça-feira, 19 de abril de 2011

『 Melhor Amiga 』 - Parte 2


Chegamos ao estacionamento do condomínio. A primeira coisa que fiz ao sairmos do veículo foi me encostar no carro a trazendo para mim e beijá-la com vontade; De certa forma a surpreendi, levei minhas mãos para a cintura dela a puxando contra meu corpo, fazendo aquela boceta carnuda pressionar meu cacete por cima da calça. O beijo se tornava mais intenso e molhado, ela me segurava pela nuca me arranhando com força, enquanto eu levava minhas mãos para a bunda grande de Jessy, apertando com força levantando o vestido dela, deixando aquele enorme rabo à mostra. Ela agora parecia estar sensível com o que eu tinha feito, envergonhada caso alguém passasse e visse a bunda dela, mas não me importei, dei-lhe um tapa deixando a marca de minha mão nela, ouvindo Jessica gemer de prazer, ela virou o rosto um pouco para o lado e a olhei morder o lábio inferior, como se tivesse adorado aquilo; Sussurrei em seu ouvido se ela gostava de ficar vulnerável: ela não conseguia responder, estava preocupada e excitada demais para isso. Chupei o pescoço dela com força arrancando suspiros de Jessy, ainda a segurá-la pela bunda e a fazer roçar a xana contra meu cacete.

Ela estava enlouquecendo com as provocações, assim como eu já não queria mais esperar. Levei a ponta dos dedos para dentro da calcinha dela, pressionando de leve o cuzinho de minha amiga; Ela gemeu um pouco e disse que era para eu ir com calma, já que ela nunca tinha dado o rabo. Eu sempre gostei de foder um cu, ficaria louco em comer o cuzinho de Jessica; Falei que iria ficar tudo bem, que iria ter cuidado e que deveríamos ir para o prédio logo; Eu estava mentindo... Iria fazê-la enlouquecer e não seria nem um pouco delicado; Dei-lhe um tapa na bunda com força, a fazendo gritar e logo roubei-lhe outro beijo.

Seguimos para o elevador, onde entramos já aos amassos: corpos se esfregando, as mãos percorrendo todo o corpo dela, arranhões e beijos quentes. Antes que o elevador fosse para o 18° andar, apertei um botão no painel o fazendo parar. Ela perguntou o que eu estava fazendo, respondi que iria fodê-la ali mesmo; Vi sua face ficar vermelha, ela não sabia o que eu tinha em mente. Enfiei as mão por debaixo da roupa dela, jogando o vestido a mesma no chão enquanto ela tentava argumentar se alguém chegasse, não tinha como já que o elevador estava no manual e estava parado entre dois andares, mas não me preocupei em responder. Apertei os seios dela com certa força, sentindo os mamilos rígidos em minhas mãos, enquanto eu chupava-lhe o pescoço, a deixando cheia de marcas; Ela não estava disposta a resistir, arranhou minhas costas e retirou minha camisa. Iríamos foder ali mesmo.

Levei minha boca ate os seios fartos de Jessy, chupando os mamilos rígidos dela, ela se estremecia em minhas mãos e gemia de leve pedindo para que eu a fodesse. Desci pelo corpo dela dando mordidas e chupadas, até ficar ajoelhado de frente para a xana dela, abaixei a calcinha e vi aquele bocetão rosado e todo molhado em minha frente, levantei uma perna dela enquanto passava toda minha língua na boceta dela, a ouvindo gemer mais alto; chupei o grelinho dela com força o deixando vermelho. Deixando-a totalmente entregue, a virei de costas para mim, fazendo ela se apoiar na parede e empinar aquele rabo enorme em minha direção; Passei os dedos na xana dela e dei-lhe alguns tapas ali até ficar com os dedos úmidos, os levei ao cuzinho dela, esfregando-os ali, depois Lambi a xana e o cu dela todo, usando as mãos para deixá-la arreganhada em minha direção; Ela gemeu mais alto e ficou trêmula, parecia ter tido um orgasmo só com aquilo; Sorri e me levantei, retirando a calça esfregando a rola na bunda dela, meu caralho já pulsava de tesão não dava para adiar mais. Pedi para que ela me mostrasse onde queria ser fodida, ela pegou meu cacete e roçou em toda a boceta dela o deixando molhado, logo encostou o cu na cabeça da pica, pedindo para que eu enfiasse tudo, mesmo que doesse não agüentava mais esperar aquela rola. Fiz como ela havia pedido, enterrei a rola naquele rabo gostoso a ouvindo gemer de dor e prazer.

Metia sem parar com força, fazendo meus quadris baterem contra a bunda de Jessica. Aquele cu apertado me deixava louco assim como os gemidos que minha amiga dava. A segurei pelos longos cabelos ruivos a puxando um pouco para trás, sem parar de meter. Tirei a pica por um instante a enfiei de vez, repetindo isso algumas vezes, voltei ao ritmo de antes. Senti o gozo vir, retirei a rola novamente e me masturbei um pouco, gozando em cima daquela bunda, a deixando repleta de porra. O cuzinho dela estava vermelho e mais aberto que o normal, ela suspirava enquanto passava a mão pela própria bunda, dizendo que o cuzinho doía, mas que agora só iria querer ser fodida ali. Meu pau ainda latejava e se mantinha duro, estava louco de tesão por ela, insaciável e ela da mesma forma. Ela me deitou no chão do elevador e ficou sobre meu colo, esfregando a boceta em minha pica dura, logo sentando em cima dela, fazendo a rola pulsante penetrar a xana apertada e quente, me arrancando suspiros. Ela se apoiava em meu peito enquanto cavalgava com força, eu conseguia sentir meu pau inteiro dentro dela, estávamos sedentos um pelo outro; Jessy rebolava com vontade e gemia sem parar, delirando em cima da rola grossa. Jessica se deitou sobre mim e gemeu ousada, gozando no meu cacete o deixando totalmente molhado, arranhando-me o peito com vontade.

Depois disso nos ajeitamos e acionei o elevador para que pudesses chegar no apartamento; Ainda nos (...) CONTINUA.

As coisas estão ficando cada vez mais quentes entre esses dois, será que vão continuar com tamanho desejo um pelo outro dentro do apartamento? Comentem aqui o que acha que vai acontecer... Logo a parte final será postada.